Psicoterapia Reichiana Imprimir E-mail

A Psicoterapia Reichiana é uma abordagem terapêutica psicossomática, que atua a nível psicológico, corporal e bioenergético. Pela sua diversidade de recursos terapêuticos, ela é eficaz tanto no tratamento de distúrbios psicológicos (tais como depressão, ansiedade, fobias, dificuldades de relacionamento humano e afetivo) e de muitos distúrbios orgânicos (como dores de cabeça, hipertensão, asma, distúrbios menstruais, colite, gastrite e obesidade, por exemplo). Na visão reichiana o ser humano é uma unidade psicossomática, na qual corpo e mente formam um sistema integrado.


Em suas pesquisas clínicas e experimentais, Reich descobriu que os distúrbios psico-emocionais estão sempre associados a distúrbios corporais (anatômico-fisiológicos). A esse conjunto de distúrbios corporais ele denominou couraça, devido à sua função de contenção emocional. A formação da couraça (encouraçamento) inclui alterações musculares (tensão ou flacidez), viscerais, respiratórias, sensoriais, circulatórias e hormonais. Reich descobriu ainda que a couraça se organiza no corpo em sete conjuntos funcionais, aos quais denominou segmentos: ocular, oral, cervical, torácico, diafragmático, abdominal e pélvico. Foi em busca de melhores resultados terapêuticos que Reich propôs que, ao trabalho verbal, essencial no processo pssicoterapêutico, pudessem somar-se os trabalhos corporais, que visam a dissolução da couraça (desencouraçamento), acompanhada da liberação de impulsos e emoções reprimidas, e da elaboração dos conteúdos psíquicos associados.

As pesquisas de Reich levaram também à descoberta de que em nosso organismo existe uma energia específica que ele chamou de bioenergia, ou orgone, que circula pelo corpo impulsionada pelas nossas funções emocionais e fisiológicas. A energia orgônica corresponde à energia Qui descrita pela medicina chinesa (provavelmente os dois termos referem-se ao mesmo fenômeno). Mas Reich chegou a esta descoberta por outras linhas de investigação e desenvolveu outros métodos de atuação terapêutica sobre ela. A couraça, que resulta na contenção de impulsos e emoções, promove também um bloqueio nos fluxos de energia orgônica. Isto faz surgir no organismo regiões com deficiência de energia (bloqueios hipo-orgonóticos), ou regiões com excesso de energia estagnada (bloqueios hiper-orgonóticos), predispondo ao surgimento de doenças. Os trabalhos de desencouraçamento promovem a regularização destes fluxos de energia e, conseqüentemente, a restauração da saúde.

A Psicoterapia Reichiana utiliza várias técnicas de desencouraçamento que são sempre associadas aos trabalhos verbais psicodinâmicos. Estes se fundamentam na teoria psicanalítica freudiana e na análise do caráter desenvolvida por Reich, incluindo o manejo clínico do fenômeno da transferência. Os principais trabalhos corporais utilizados são:

  • Movimentos oculares e foto-estimulação - A visão é o sentido mais importante na estruturação do psiquismo humano, estando cada região do campo visual associada a determinados conteúdos psíquicos. Reich criou várias técnicas de focalização e movimentação ocular que são usadas até hoje. Mais recentemente, Barbara Koopman criou a técnica de foto-estimulação ocular com a luz em movimento que, ativando os movimentos conjugados dos dois olhos, estimula a conexão funcional entre os dois hemisférios cerebrais, favorecendo o acesso a conteúdos do inconsciente e o reprocessamento de memórias emocionalmente significativas.
    A partir de pesquisas recentes conduzidas por alguns membros do Núcleo de Psicoterapia Reichiana (citar artigo), passamos a utilizar, além da luz branca, luzes de cor azul, verde e vermelha, que estimulam, de forma específica, determinadas células da retina, gerando impulsos nervosos que são conduzidos a diferentes regiões do cérebro. Assim, cada cor atua mais especificamente sobre determinados conteúdos psico-emocionais, o que aumenta ainda mais a eficácia desta técnica.
  • Respiração - A contenção das emoções sempre envolve a contenção dos movimentos respiratórios. Existem vários tipos de perturbações respiratórias, podendo haver contenção da inspiração ou da expiração, e estas podem ocorrer a nível torácico ou diafragmático. Em cada caso utilizam-se técnicas próprias de desbloqueio.
  • Actings - Também chamados de movimentos desbloqueantes ou de movimentos ontogeneticamente significativos. São ações corporais voluntárias repetidas, que reproduzem e ativam funções importantes nos processos de percepção e expressão afetiva, e também, no processo de desenvolvimento ontogenético, ativando marcas de memória de diferentes fases da vida. Existem algumas dezenas de actings utilizados para o desencouraçamento das várias regiões do corpo.
  • Técnicas de Manipulação - A massagem reichiana utiliza tipos específicos de toque aplicados sobre a musculatura e sobre pontos energéticos da superfície do corpo. O trabalho sobre a musculatura visa à recuperação de sua tonicidade e a dissolução de tensões crônicas. O trabalho sobre os pontos energéticos, que funcionam como centros de distribuição de energia e integração reflexológica, favorece a regularização dos fluxos bioenergéticos. Cada músculo e cada ponto estão ligados a determinadas emoções e conteúdos psíquicos reprimidos.
  • Outras técnicas - Trabalhos de expressão sonora; movimentos expressivos dos membros; visualizações; expressões faciais; técnicas posturais e de equilíbrio; alongamento; e também técnicas vivenciais envolvendo a dinâmica dos relacionamentos humanos mais importantes ou da relação paciente-terapeuta, associadas ao manejo da transferência.

A teoria e a prática desenvolvidas por Wilhelm Reich ampliaram-se a partir da clínica, abarcando outras dimensões da complexidade humana, posssibilitando uma compreensão mais abrangente da subjetividade e da relação do indivíduo com o contexto no qual está inserido.

 

NOVA ABORDAGEM CLÍNICA DA PSICOTERAPIA REICHIANA

Quase 50 anos se passaram desde a morte de Reich. Durante estes anos, a metodologia clínica criada por ele vem evoluindo e se aperfeiçoando, não só pela experiência acumulada e pelas descobertas de seus discípulos e seguidores, mas também pela incorporação de novas técnicas terapêuticas e aperfeiçoamentos metodológicos resultantes de descobertas mais recentes no campo das psicoterapias, das neurociências e de outras áreas de conhecimento.

Alguns exemplos de aperfeiçoamentos metodológicos que incorporamos à abordagem clássica da psicoterapia reichiana são:

  • a técnica de foto-estimulação ocular com a luz em movimento;
  • a sistematização do emprego de luzes coloridas com base no espectro de absorção dos fotorreceptores da retina;
  • a incorporação de outros mapeamentos energéticos e reflexológicos às técnicas de manipulação;
  • a integração dos conhecimentos da Psicossomática Clássica e Contemporânea ao pensamento funcional reichiano;
  • a adaptação do método EMDR (Eye Movement for Dissensitization and Reprocessing) para emprego associado aos métodos da Psicoterapia Reichiana e, principalmente;
  • um novo enfoque nas intervenções verbais e corporais baseando-se numa melhor compreensão dos mecanismos cerebrais de processamento de informações, de consolidação e evocação de memórias, e da influência dos estados emocionais sobre estes mecanismos.

Assim sendo, quando dizemos que empregamos uma nova abordagem clínica da Psicoterapia Reichiana, estamos reconhecendo e valorizando os avanços metodológicos que foram incorporados. Porém, continuamos denominando esta abordagem de Psicoterapia Reichiana, Vegetoterapia ou Orgonoterapia, termos empregados por Reich, porque continuamos seguindo, na íntegra, todos os parâmetros teóricos e práticos de sua abordagem.

 

 

+ Quem foi Wilhelm Reich?

+ Sugestão Bibliográfica

 
Facebook